Testemunhos

Testemunhos de formandos da 2ª edição do programa Acertar o Rumo.

Recolhemos também a opinião de alguns formandos da 2ª edição, que disponibilizam o seu e-mail pessoal para poderem ser contactados por potenciais candidatos que pretendam algum esclarecimento adicional para fundamentação da sua decisão de inscrição neste programa.

Decidi inscrever-me no curso “Acertar o Rumo 2014” com a perspectiva de uma mudança na minha vida profissional. Sou licenciado em Engenharia Civil, tendo acabado o curso em 2010. Desde então tive sempre grandes dificuldades em conseguir trabalho nessa área, tendo mesmo chegado a trabalhar uns tempos fora de Portugal. Face a esta dificuldade decidi que era, então, altura de procurar novos caminhos, e apostar numa área que me proporcionasse mais oportunidades, mas também que fosse do meu interesse, e na qual me imaginaria, no futuro, a estabelecer uma carreira profissional.

Tive conhecimento do programa “Acertar o Rumo” através da iTGROW e não hesitei. Felizmente fui seleccionado e encontro-me actualmente já na fase final do período académico.

O curso é maioritariamente prático, o que o torna ainda mais interessante. Na verdade, começamos a programar, praticamente, desde o primeiro dia e a evolução é notável, mesmo para quem, como eu, não tinha experiência no ramo.

A primeira fase é de introdução à programação e serve essencialmente para que os formandos tenham um primeiro contacto com a programação e possam desenvolver, de uma forma acessível a qualquer um, as suas capacidades nesta área. A segunda parte, diz respeito a uma programação mais avançada, direccionada, essencialmente, para o desenvolvimento de aplicações ao nível empresarial.

Apesar de ainda não ter terminado, sinto que tomei a melhor opção em direcção ao rumo certo, numa área de especialização onde existe uma procura substancialmente superior à oferta e, acima de tudo, cujo trabalho a desenvolver é extremamente interessante.

Não posso deixar de destacar a grande entreajuda que existe entre todos os colegas do curso, o que facilita, naturalmente, todo o processo de aprendizagem.

É um curso intensivo, o qual exige total dedicação e um grande investimento pessoal, mas que produzirá, certamente, excelentes resultados num futuro próximo!

ricardojvquirino@gmail.com 

Tenho um passado fortemente ligado à área das ciências naturais, mais concretamente ao ramo de biologia e química. Licenciei-me em Bioquímica pela Universidade de Lisboa e durante cerca de 6 anos desempenhei funções ligado a esta realidade que tanto gosto e admiro. Subitamente e à semelhança de tantos outros, deparei-me desempregado e sem quaisquer perspectivas futuras. Os meses foram passando e era cada vez mais difícil encontrar soluções ou alternativas viáveis. Paralelamente a motivação e auto-confiança iam diminuindo dia após dia, bem como os poucos recursos financeiros existentes. Senti-me tantas vezes desesperado e sem saída, desejando em muitas ocasiões embarcar no apelidado movimento da “fuga de cérebros”. Porém as minhas raízes e laços pessoais eram de todo bem fortes e a vontade de viver no meu próprio país foi vingando.

Certo dia, por um feliz acaso a minha esposa comentou comigo que havia visto algo na net relacionado com “uma mudança de rumo para desempregados”... Por curiosidade foi pesquisar e fiquei imediatamente interessado. Li e reli inúmeras vezes e ao pormenor todos os detalhes e por menores do “Programa Acertar o Rumo”. Durante uns dias nada mais fiz senão pensar, ponderar, hesitar, falar com a família e amigos até que finalmente resolvi arriscar e candidatei-me! Escusado será dizer que uns tempos depois fui escolhido para as provas de selecção e mais à frente fiquei seleccionado para integrar a turma dos vinte eleitos para a 2ª edição do “Acertar o Rumo”!

Foi uma pequenina conquista, mas naquela altura fiquei radiante, pois senti que a minha vida iria mudar radicalmente, esperando que para melhor. Sabia antemão que viriam tempos difíceis por aí. Confesso que não foi nada fácil mesmo. Vivo a cerca de 70 Km de Coimbra (na Sertã) e tentei sempre conciliar a minha vida pessoal com o curso. A intensidade e exigência desta formação são extremas e só com muito sacrifício e total dedicação consegui ir levando o meu barco a bom porto.

Os primeiros tempos foram os mais conturbados para mim. Primeiro porque nunca tinha programado nada na vida e os meus conhecimentos nesta área eram bastante limitados, depois porque a adaptação a uma nova realidade acarreta sempre alguns receios e incertezas inerentes. Para além disto, havia que considerar também o encargo financeiro, assim como o tempo despendido. A integração acabou por se revelar mais simples do que imaginara e rapidamente se formou um grupo coeso e generoso de formandos que se entre-ajudavam mutuamente, num espírito de plena camaradagem.

Em relação ao curso em questão posso afirmar que este está muito bem estruturado, fortemente direccionado para a componente prática, possuindo um excelente leque de docentes e auxiliares ao nosso dispor. Este ano de formação obriga-nos a evoluir imenso em todos os sentidos. O curso dá-nos uma destreza de raciocínio e modo de pensar e ver os problemas que não tinha anteriormente. Para além do know-how e das ferramentas com que ficamos, temos a certeza e a confiança necessária para enfrentar os desafios que se avizinham.

Posso afirmar que não me arrependo da escolha que tomei, a meu ver foi é continua a ser uma aposta ganha. Vale a pena todo o esforço e empenho! O “Acertar o Rumo” dá-nos a oportunidade de entrar num mundo fascinante e super-interessante, onde as oportunidades e ofertas profissionais são ímpares, mesmo dentro de Portugal.

Neste momento encontro-me na fase de estágio em ambiente profissional, o qual está a correr muito bem e onde me sinto completamente enquadrado e motivado. Dada a minha experiência pessoal recomendo a cem porcento esta formação a todos aqueles que tal como eu se viram da dolorosa e angustiante situação de desemprego. Toca a arregaçar as mangas e a contrariar as tendências e expectativas. Tomem conta do leme do vosso destino!

Junho de 2016

“I choose a lazy person to do a hard job. Because a lazy person will find an easy way to do it.” - Bill Gates

Tenho que começar este testemunho por dizer que eu sou preguiçoso. Isto reflectiu-se acentuadamente no meu percurso universitário onde não fui de longe dos melhores alunos, mas onde também não fui dos piores. A razão pela qual não fui dos piores prende-se com algumas características que como preguiçoso aprendi a desenvolver, nomeadamente, organização, pragmatismo e persistência. Estas características, mal eu sabia, não eram de todo as que se encaixavam no perfil de um Físico, mas que acabam por encaixar muito bem num programador.

Quando terminei o meu curso, fui empregado pelo instituto no qual tinha realizado a minha tese de Mestrado. Decidi permanecer a trabalhar lá porque era um trabalho que de facto me interessava, mas também um pouco pelo comodismo de não ter que passar pelo processo de procurar trabalho. Volvidos alguns meses, apercebi-me que o trabalho que antes me apaixonava e que me motivava, se tinha tornado em algo rotineiro e portanto decidi procurar um novo trabalho. Ataquei vigorosamente todos os motores de busca de ofertas de emprego e deparei-me com aquilo que toda a gente hoje em dia sabe ser uma realidade: mal fiz a primeira busca, ia-me afogando em ofertas de emprego para engenheiros informáticos.

Eu tinha algumas noções de programação, mas ao olhar para aquelas ofertas de emprego todas e para todos aqueles termos técnicos, senti que não sabia absolutamente nada e que por isso, nem sequer valia a pena arriscar em candidatar-me a qualquer uma delas. Por coincidência, tive conhecimento do programa Acertar o Rumo nessa altura, e quando vi o programa do curso pensei “É isto que eu preciso de aprender!”. O facto de ser um curso intensivo e seguido de um estágio numa empresa de software tornou-o numa possibilidade ainda mais aliciante.

Quando o curso começou, todas as expectativas que tinha foram superadas. O conhecimento era transmitido de uma forma muito prática e com um acompanhamento constante por parte do corpo docente. O camaradagem e solidariedade entre todos os alunos transformou um curso intensivo num desafio colectivo: tínhamos a missão de alterar o nosso percurso profissional e não íamos deixar ninguém para trás. Num curso em que o melhor aluno receberia um prémio no valor da propina do curso, este tipo de atitude deixou-me extremamente orgulhoso das pessoas com quem partilhei aquela sala de aula.

Depois de já ter passado pela primeira metade do estágio, posso garantir que o que se aprende durante o período lectivo é mais que suficiente para ser integrado num projecto de software. Claro que a aquisição de conhecimentos não pára quando a fase lectiva termina, mas as bases que nos dão são largamente suficientes para que consigamos aprender mais sobre qualquer assunto relacionado com a programação em Java.

É impossível não recomendar o Acertar o Rumo para quem procura um novo caminho para a sua vida.

Junho de 2016

Quando terminei o meu curso de Engenharia Civil, estava com dificuldades em encontrar trabalho na área visto ser uma das mais afetadas pela crise. Depois de ter notado que as área das tecnologias de informação era a menos afetada, e como já tinha tido contacto com programação no meu curso e tinha achado bastante interessante, estava decidido a fazer uma nova formação que me pudesse dar maiores oportunidades de entrar no mercado de trabalho. Na altura estava dividido entre fazer as cadeiras necessárias para obter o grau de Engenharia Informática ou tirar um curso especializado numa tecnologia.

Comecei primeiro por ver quais os tipos de cursos que haviam, e a grande maioria era destinada a pessoas já formadas em informática e com alguma experiência, para além do elevado custo associado vs horas de formação. Quando já estava a começar a ver o que era necessário para reeingressar em Engenharia Informática vi uma notícia no jornal acerca do programa Acertar o rumo, e pareceu-me perfeito para o que queria fazer. A componente lectiva intensiva está dividida em duas partes, inicialmente temos formação sobre os principais eixos dos sistemas de informação e introdução à programação seguida de uma componente de programação avançada, orientada para o desenvolvimento de aplicações empresariais.

O curso dá-nos uma boa base para nos iniciarmos no mundo das tecnologias de informação, que é cimentada com a experiência adquirida no estágio.Neste momento encontro-me a fazer o estágio na iTGROW/CRITICAL Software em projetos nas áreas da Defesa e Segurança, onde para além de estar a aplicar os conhecimentos adquiridos na parte curricular já aprendi muitas coisas novas. Está a ser uma experiência fantástica e a minha motivação está mais alta do que nunca, por isso, para quem tem gosto pela resolução de problemas, pela aprendizagem contínua e vocação para a programação este programa é sem dúvida a melhor oportunidade para mudança a nível profissional.

Junho de 2016

Desde que me conheço que adoro números e foi assim com naturalidade que fiz o curso de Matemática na Universidade de Coimbra (UC) e, de seguida, me dediquei à Investigação, tendo feito o Mestrado e o Doutoramento também na UC. Durante os mais de dez anos em que estive ligada à investigação académica, nunca me senti completamente realizada e, a acrescentar a isso, a precaridade e as poucas perspetivas de futuro nessa área não me deixavam tranquila.

Tomei conhecimento do programa Acertar o Rumo numa altura perfeita, exatamente quando tinha decidido mudar a minha vida profissional e apostar na área da Informática. Eu já tinha tido alguma experiência em programação. Foi algo que sempre me deu muito gozo e para a qual eu sentia que tinha uma forte aptidão. O programa Acertar o Rumo era mesmo o que andava à procura: um curso intensivo e de pequena duração, onde eu poderia aprofundar os meus conhecimentos prévios de programação de uma maneira mais direcionada às necessidades do mercado de trabalho, completado com um estágio remunerado numa empresa de créditos minimamente firmados. E estando a Critical Software e a UC envolvidas no programa, não precisei de pensar duas vezes.

O primeiro ano, referente à parte letiva, foi um ano super intenso e trabalhoso mas ao mesmo tempo extremamente gratificante e rico em aprendizagem. Começámos a programar desde o primeiro dia e mesmo quem nunca antes tinha programado teve oportunidade de ir aprendendo tudo de raiz e ao seu ritmo. A parte mais importante para mim foi a programação avançada. Foi aí que nos foram transmitidas as bases sobre desenvolvimento de aplicações de software e tivemos contacto hands-on com diversas tecnologias utilizadas atualmente nas empresas de ponta. Realço também o excelente ambiente que se viveu dentro do grupo de formandas e formandos ao longo do ano, sempre num clima da amizade, de sentido de grupo e de entreajuda.

Neste momento, encontro-me a meio do ano de estágio na iTGROW e estou muito satisfeita. Tenho estado integrada numa equipa diversificada, que me apoia bastante e com a qual muito tenho aprendido. Os projetos em que tenho colaborado são projetos reais, que me fazem sentir realmente útil para a sociedade. Estou efetivamente a usar muitas das coisas que aprendi no curso e, ao mesmo tempo, estou continuamente a aprender mais e mais coisas relacionadas com desenvolvimento de software e todas as suas fases. Programo em Java, elaboro e executo testes, corrijo bugs, revejo documentação, participo em reuniões de planeamento e de avaliação, tenho oportunidades de formação internas e externas e muito mais. A acrescentar a isso, o ambiente na empresa é excecional, as pessoas são simpáticas, as relações bastante informais e existe uma preocupação social sempre presente, o que muito me agrada.

O programa Acertar o Rumo está sem dúvida na lista das melhores coisas que me aconteceram na vida e não tenho quaisquer dúvidas de que, como a mim, ajudou e continuará a ajudar muita gente, valorizando as suas qualificações profissionais, numa altura em que a vida não está fácil, e melhorando as suas perspetivas de futuro.

renatadiasilva@gmail.com 

Julho de 2016

Foram meses de um trabalho envolvente e desafiador em diferentes momentos das actividades que me ligaram ao desenvolvimento de software na empresa Everis Portugal, pelo que, é bastante positiva a avaliação que faço após o tempo de estágio aí exercido. Tinha expectativas pessoais também elevadas, pelo que, no seu global as situações positivas são seguramente as que estão e ficam registadas.

A aprendizagem técnica e única, no âmbito do curso de programação em Java, na Universidade de Coimbra, deu-me as bases necessárias para que tenha sido feita uma integração calma nas diferentes fases de desenvolvimento de software durante o estágio na Everis. É claro que, em paralelo, foi possível, também, aprofundar e/ou iniciar o conhecimento noutras áreas e noutros procedimentos activos na empresa o que foi, pessoalmente, gratificante e, seguramente, muito importantes para as minhas actividades futuras.

Desenvolver um projecto de raiz foi um dos pontos que, considero, marcantes no início do estágio e houve momentos em que as dificuldades pareciam querer desanimar-me. No entanto, entendi que esses eram também os momentos para ganhar uma maior autonomia, levando-me a superar os desafios existentes e reforçando, assim, o sentimento de confiança nas minhas capacidades, de forma a encarar positivamente, todos os outros desafios que pudessem surgir.

A equipa do CAR da Everis está em processo activo de construção e espera-se que o seu crescimento continue a evoluir positivamente nos próximos meses. Neste sentido, espero, pessoalmente, continuar a estar envolvido nestes projectos da empresa e do grupo, quer sejam orientados a clientes internos ou externos (nacionais ou internacionais), aproveitando assim para:

  • Aprender com os mais experientes, desenvolvendo e aprofundando os meus conhecimentos técnicos e de gestão na área,
  • Ajudar o grupo a crescer dentro da empresa
  • Intensificar o impacto, deste grupo de trabalho, aos olhos do mercado de desenvolvimento de software profissional.

Tenho muito a apreender, quer em termos técnicos, quer em termos processuais e de gestão de trabalho em desenvolvimento de software. Entretanto, sei que a Everis tem condições e potencial para nos motivar, criando esse ambiente de trabalho e estabelecendo projectos e objectivos desafiadores em termos individuais e de equipa.

Considero que, quer a nível pessoal quer a nível profissional, a apreciação global que faço do estágio é bastante positiva e acredito que, também, este envolvimento possa evoluir, a médio e longo prazo, num cenário que se espera e deseja, de resultados muito positivos e benéficos para ambas as partes.

Julho de 2017